Competências Acadêmicas X Socioemocionais

Leticia Guimarães Lyle, Diretora Pedagógica

Tem sido frequente a discussão de que na escola devem ser trabalhadas não apenas as competências acadêmicas, mas também as competências Socioemocionais como forma de potencializar a aprendizagem dos alunos.

Atualmente existem alguns programas voltados para esse ensino no Brasil e no mundo. Iniciativas nacionais começam a levar esses programas para escolas particulares, municipais e estaduais em projetos que visam melhorar as competências cognitivas e não cognitivas dos alunos e prepará-los para enfrentar plenamente o Século XXI.

A seguir estão descritas algumas dessas competências e o que elas favorecem em relação às aprendizagens de crianças e jovens.

Autoconhecimento é a capacidade de reconhecer sentimentos, interesses e pontos fortes, e manter um bom nível de eficiência pessoal. Reconhecer dificuldades e facilidades (Payton et al., 2000) e posicionar-se em relação a isso influencia escolhas acadêmicas e a persistência para superar dificuldades.

Autocontrole permite a indivíduos lidar com situações de stress diárias e controlar suas emoções em situações difíceis. Essa capacidade de regular emoções impacta a memória e os recursos cognitivos utilizados em tarefas acadêmicas.

Sociabilidade permite que os indivíduos levem em consideração perspectivas alheias e sejam empáticos com outras pessoas. Alunos com habilidades sociais são mais propensos a apreciar diferenças e semelhanças nos outros.

Competências de Relacionamento permitem que alunos desenvolvam e mantenham relacionamentos saudáveis com outros, incluindo as habilidades de resistir a pressões sociais negativas, resolver conflitos interpessoais e buscar ajuda quando necessário.

Tomada de Decisões com Responsabilidade permite que alunos pensem sempre em múltiplos fatores, tais como: valores éticos, respeito e segurança (física e emocional) na tomada de decisões.

Brincadeira : O que ensino a um colega? E o que aprendo com ele?

Realizar, coletivamente e sob a supervisão da professora, uma lista com brincadeiras sugeridas por cada criança. Depois, sorteia-se o nome de uma criança da sala. A criança chamada deverá escolher um jogo da lista que queira aprender. O colega que nomeou o jogo ensinará aos colegas, a brincadeira. Depois, ele pedirá a outro colega que faça o mesmo. E assim, sucessivamente, até que todos tenham ensinado sua brincadeira e aprendido outra.

Autora: Leticia Guimarães Lyle é a Diretora Pedagógica do AfterSchool Educação, mestra em Desenvolvimento de Currículo e Educação Inclusiva com especialidade em Competências Socioemocionais pelo Teachers College da Columbia University. É sócia fundadora do Mindset Education, grupo que trabalha com projetos educacionais, atualização de currículo e formação de professores. Responsável pela adaptação do Programa Compasso Socioemocional e coordenadora de curso de Pós Graduação do Instituto Singularidades.

Leticia Lyle

Fontes

Porvir: http://www.porvir.org/especiais/socioemocionais/     (2016-05-05)

CASEL: http://www.casel.org/social-and-emotional-learning/core-competencies/     (2016-05-05)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s